saude   / SAÚDE CAPILAR

Cabelos e saúde mental: Especialista explica como questões emocionais podem afetar a saúde dos fios

Segundo tricologista Viviane Coutinho, problemas como estresse, ansiedade e depressão podem comprometer saúde capilar

MANEQUIM Publicado segunda 3 maio, 2021

Segundo tricologista Viviane Coutinho, problemas como estresse, ansiedade e depressão podem comprometer saúde capilar
Saúde emocional podem afetar a saúde dos fios - FreePik

Durante a pandemia do coronavírus, a mudança na rotina, a sobrecarga no trabalho, a preocupação constante com a saúde de amigos e familiares, entre outras questões, podem desencadear diversos problemas emocionais. 
 
Mais do que simplesmente impactarem o nosso humor e disposição, doenças psicossomáticas como estresse, ansiedade e depressão têm o poder de impactar até mesmo nosso físico – afetando pele, unhas e cabelo.
 
“A relação entre o lado emocional e o problema capilar está diretamente ligada ao estilo de vida que levamos hoje, principalmente no contexto da pandemia. Apesar de alimentação inadequada, fatores genéticos e distúrbios hormonais serem alguns dos responsáveis por comprometer a saúde dos fios, questões relacionadas ao estresse pioram esse quadro”, explica a tricologista Viviane Coutinho, membra-docente da Academia Brasileira de Tricologia (ABT).

+VEJA: Babosa: Conheça os benefícios e receitinha para hidratar as madeixas
 
A especialista afirma que fatores emocionais podem prejudicar os cabelos, mas também podem ser os próprios causadores de diversos problemas capilares.
 
“Quando acionamos os gatilhos emocionais, nosso corpo pode comprometer seus marcadores inflamatórios. A partir disso, é possível que se dificulte a oxigenação e circulação sanguínea na cabeça, tornando o couro cabeludo mais sensível”, aponta.

+VEJA: Cabelos cacheados: 5 erros que você não pode cometer se quer manter os fios saudáveis
 
Uma das disfunções mais comuns é a queda, que geralmente é causada pelo estresse. “Seja por pressão no trabalho, na faculdade ou nos relacionamentos, cada pessoa lida de uma maneira diferente com as atividades do dia a dia. Mas é importante ressaltar que o organismo também reage a todos esses acontecimentos. O eflúvio telógeno, que é perda acentuada de fios e a alopecia areata, que se caracteriza pela queda de cabelo em áreas específicas da cabeça, acabam sendo mais frequentes.”

Outras doenças causadas por fatores emocionais e que influenciam a saúde dos fios são a dermatite seborreica e psoríase, cujos sintomas muitas vezes surgem na forma de coceira e descamação. Viviane indica o tratamento adequado.
 
“Para tratar, é preciso colher todos os dados e fazer um exame tricoscópico no paciente, no qual seu quadro será analisado. O objetivo principal é diminuir o processo inflamatório, melhorando a microbiota, isto é, a saúde dos microorganismos que naturalmente residem naquela região”, descreve.
 
“Também estimulamos fios novos e reduzimos a queda com o aumento da circulação periférica e ainda damos orientações especializadas de home care, respeitando sempre as necessidades de cada cabelo”, acrescenta a especialista.
 
Ela ressalta que o cabelo reflete o que somos, pois expressa a nossa identidade pessoal por meio do visual. “Quando não estamos satisfeitos com ele, principalmente por mudanças bruscas que não conseguimos controlar, como a queda acentuada, isso também abala a autoestima”, nota.
 
“Nosso corpo está sempre nos dando sinais. Portanto, preste atenção a esses sinais para procurar ajuda profissional o quanto antes e, assim, recuperar a saúde capilar.”
 
Além dos cuidados com os fios, ainda é essencial chamar a atenção para a importância da saúde mental. “De vez em quando, é super válido distrair a mente e relaxar para reduzir o estresse, porque isso também ajuda o seu cabelo a ser mais forte e saudável, além de evitar outros possíveis problemas de saúde”, recomenda.

Último acesso: 24 Oct 2021 - 21:18:51 (1044268).