moda   / Por um futuro melhor nos esportes

Protesto contra sexualização no esporte: ginastas alemãs mudam o uniforme em Tóquio, trocando os collants cavados por calças confortáveis

Foi um ato histórico, sendo a primeira vez que deixaram de usar a peça clássica sem ser por motivos religiosos

Thayna Batista com supervisão de Marina Pastorelli Publicado sexta 23 julho, 2021

Foi um ato histórico, sendo a primeira vez que deixaram de usar a peça clássica sem ser por motivos religiosos
Ginastas alemãs mudam uniforme, como forma de protesto contra sexualização no esporte - Reprodução / Instagram / @seitzeli

É nítida a sexualização e objetificação da mulher no mundo dos esportes através dos uniformes que precisam usar: enquanto os homens usam bermudas folgadas ou calças confortáveis, sobra às mulheres o uso de biquínis, collants e shorts minúsculos, cavados e que marcam cada curva de seus corpos. 

+++ Tendência para o inverno? 8 looks com saias longas de crochê para você se inspirar

+++ 4 detalhes na maquiagem que dão efeito de rosto envelhecido e você pode evitar facilmente

E foi pensando nisso - nos corpos expostos e a sexualização consequente o uso desses uniformes, que ginastas alemãs tiveram um posicionamento inédito na modalidade de Ginástica Artística - e mais ainda nos Jogos Olímpicos: durante o treino de pódio, elas deixaram de lado o clássico collant super cavado e usaram uma espécie de macacão que cobre até os tornozelos, deixando-as mais confortáveis e menos expostas. 

Essa foi, inclusive, a primeira vez na história que deixaram de usar a peça clássica sem ser por motivos religiosos - elas deixaram simplesmente porque não queriam usar, afinal, essa é uma escolha que cabe a elas decidirem, como sugere o nome desse movimento: #ItsMyChoice

Confira o novo uniformes das ginastas Kim Bui, Elisabeth Seitz, Sarah Vossi e Pauline Schaefer:

 

 

Último acesso: 20 Sep 2021 - 11:43:45 (1044816).